Ame algo mais elevado, algo maior, algo no qual você se perderá e que não possa controlar; você pode ser possuído por ele, mas não pode possuí-lo. Então o ego desaparece, e, quando o amor não tiver ego, ele será prece. Osho
Photobucket Apenas um raio de sol é suficiente para afastar várias sombras. São Francisco de Assis

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010




Somos Luz!
Por Wagner Borges

O Divino escultor esculpiu nossa imagem – forma.
Sorrindo, Ele disse dentro de cada espírito: “Você
Ocupará muitas formas na existência, terá vários rostos e corpos,
De cores e formatos diferentes, mas a sua verdadeira face é a da Luz.!”
Porém, o tempo passou, e nos identificamos com as diversas formas, não só físicas,
Mas também com aquelas mentais e emocionais.
Passamos a viver e agir nas formas, mas sem sentir o Espírito em nós.
Passamos a viver de forma vazia, sem sentido e sem profundidade.
Apegamo-nos demais às formas moldadas e condensadas nas energias da natureza
E, mesmo quando eles se desgastam e o seu uso não é mais possível, ficamos meio perdidos, chorando sobre a referência externa com a qual nos identificávamos tanto.
Foi por isso que o sábio Jesus disse: “Deixem que os mortos enterrem os seus mortos.”
O Rabi estava certo: quem anda com o espírito entorpecido nas ilusões sensoriais do mundo e acha que é só isso que existe, na verdade está morto de raciocínio, percepção e espírito. Confundir a Luz do espírito com a casca abandonada é o mesmo que confundir a roupa com quem a veste.
Se é necessário respeitar o invólucro carnal abandonado, pois era morada do espírito em ascensão,é mais necessário ainda respeitar o próprio espírito, essência imperecível e dotado de todos os potenciais celestes.
E nenhum espírito, em época alguma, jamais foi seguro pelo caixão ou pelo solo onde o seu corpo ficou, sendo transformado em outras energias pela generosa Mãe Terra.
Aos corpos que ficam na Terra, o nosso muito obrigado, por tudo o que aprendemos por intermédio deles. Porém, somos espíritos com a face da Luz!
Somos forma e semelhança da Luz, pois não somos animais vertebrados; somos consciências imperecíveis. Somos a cara de Deus!
Não somos brancos, negros, amarelos ou vermelhos. Não somos nem mesmo terrestres, pois qualquer espírito é egresso de outros planos sutis, não-físicos.
Portanto, somos extraterrestres, pois terrestres são apenas os corpos que ocupamos temporariamente.

SOMOS LUZ!

Enquanto os “mortos enterram os seus mortos”, os espíritos continuam vivendo além.
Os primeiros olham as tumbas e choram a ilusão de suas referências apenas físicas; os
Últimos olham para as estrelas e alçam vôo para outras paragens.
E lá em cima não há nenhum número de tumba como referência, nem esquifes enterrados para alguém se guiar na dor de sua perda ilusória. O que tem mesmo é uma
Infinidade de espíritos vivos, todos com a cara de Deus!
O Divino Escultor esculpiu nossa imagem–forma na Luz.
Portanto, façamos jus a essa Luz.
SEJAMOS LUZ!